Voltar ao site

DEIXE DE SER UM ROBÔ

Meu sobrinho Leo tem apenas 4 anos, outro dia ele disse para minha irmã, mãe dele:
"Mamãe, a gente é um robô e quem manda na gente é o "célebo" e o coração. Quando o "célebo" dorme, o coração liga e quando o coração dorme, o "célebo" liga."

Perfeito, é exatamente assim que se passa, ele não poderia estar mais certo! Vamos entender a fala dele.

"A gente é um robô"
Sim, a gente é um robô mesmo. O condicionamento fez com que a gente se tornasse robô.
Quer ver? Você faz tudo no automático: você come, anda, dirige, trabalha, toma banho, escova os dentes, tudo no automático. Seu corpo executa a ação, mas sua mente não está lá, está presa no passado ou deslocada para o futuro. Você raramente está presente na ação.
Outro dia fui numa aula de meditação Mindfulness (atenção plena) e lá fizemos uma prática. De olhos fechados recebemos um pequeno alimento nas mãos. Tínhamos que perceber o seu peso, o seu cheiro, colocamos perto do ouvido para ver se tinha som e abrimos os olhos para ver. Em seguida, novamente de olhos fechados, mordemos um pedaço de uma pequenina uva passa, sentimos o sabor, a textura, exploramos o pequeno pedaço em nossa boca e só depois engolimos. Foi uma prática de 7 minutos. Comemos uma uva passa (uma, não um punhado) em 7 minutos! Nos depoimentos as pessoas disseram quão especial foi comer aquela uva passa, que sabor diferente tinha. Isso porque todas os nossos sentidos estavam voltados apenas para aquilo.
Mas normalmente o que acontece é que você engole a comida, muitas vezes em pé, por que estás com pressa. Você conversa com as pessoas com o celular na mão, responde ao colega de trabalho escrevendo um email. Você se gaba de ser "multitask", de fazer várias coisas ao mesmo tempo. E na verdade você não está presente em nada, você não se conecta com nada, você é um robô.
Isso sem falar dos comportamentos sociais condicionados, como fazer o que o outro acha que você deve fazer, deixar de fazer o que você quer fazer, não se perguntar quem você é , o que quer de verdade, qual seu propósito na vida.
Até que você desperte para isso e saia do condicionamento você é meramente um robô.

"Quem manda na gente é o cérebro e o coração"
Sim, e até a ciência hoje já considera que temos vários centros de inteligência.
O cérebro é o centro do intelecto, do conhecimento, um degrau acima do instinto. Seu intelecto serve para você encontrar formas de fazer (ou não fazer) coisas. Está baseado em aprendizagem, trabalha por comparação e usa como referência um banco de dados enorme chamado memória. Por causa disso, através do cérebro você toma atitudes com base em pensamentos que vem de crenças, medos e condicionamentos.
Já o coração...ah o coração... Não é aquele que se apaixona e toma tombo tantas vezes! Ele é muito mais que isso! É o centro da sua intuição. É a partir daí que você encontra respostas para questões fundamentais que o cérebro não consegue responder. A intuição não pensa, ela sente. Ela te conduz para o acesso de uma consciência maior. Ela te conecta com sua Essência. Se você conectar com o coração ele te dirá quais caminhos seguir e quais não seguir. Essa sabedoria só o coração tem, o cérebro não tem não.

"Quando o cérebro dorme, o coração liga e quando o coração dorme, o cérebro liga"
Sim, e essa é uma grande lição!
Aprender a se conectar com cada centro de sabedoria te coloca no comando da sua vida.
Aprender a silenciar a mente e ouvir o coração é o seu maior desafio pois geralmente você está com o cérebro em modo ON e o coração em modo OFF.

Que tal experimentar encontrar a sabedoria do seu coração? Viver mais conectado, mais leve e mais feliz?

Todos os Posts
×

Quase pronto…

Acabámos de lhe enviar um email. Por favor, clique no link no email para confirmar sua subscrição!

OK