Filhos de pais idosos: dores silenciosas, conversas necessárias

Quando falamos sobre envelhecimento geralmente o fazemos do ponto de vista das experiências e necessidades dos idosos. Raramente lembramos que os filhos de pais idosos também enfrentam uma série de desafios e emoções complexas ao lidar com esse estágio da vida de seus entes queridos.

Embora muitas vezes esse ponto de vista pareça inexistente, ou renegado a segundo plano, vejo como fundamental falarmos abertamente sobre nossas dores e desafios como filhos dos idosos.

Nos tempos atuais, o aumento da expectativa de vida e as mudanças nas estruturas familiares deram origem à chamada "geração sanduíche" - composta por indivíduos que frequentemente se encontram entre a responsabilidade de criar seus próprios filhos e a de cuidar de seus pais idosos - o que gera uma carga emocional e logística intensa.

A busca pela independência financeira, as demandas da carreira e a necessidade de cuidado aos filhos menores se unem à obrigação moral e emocional de proporcionar um envelhecimento digno e confortável aos pais.

Diante disso, precisamos urgentemente explorar abertamente as complexidades enfrentadas por essa geração no intuito de encontrar um equilíbrio saudável entre essas demandas contrastantes e muitas vezes exaustivas.

 

Por que esse assunto não é amplamente tratado?

Um dos motivos pelos quais as dores dos filhos de pais idosos não são amplamente discutidas é por causa das questões culturais da nossa sociedade. A expectativa social de que os filhos devem ser fortes e cuidar dos pais de maneira irrestrita muitas vezes leva à não permissão de se expressar sentimentos, dores e de falar sobre as próprias dificuldades. Além disso, o medo de serem julgados como egoístas ou insensíveis muitas vezes impede que os filhos expressem suas preocupações.


Principais desafios enfrentados pelos filhos de pais idosos:

  1. Carga emocional: Cuidar de pais idosos pode ser extremamente desgastante do ponto de vista emocional. Lidar com as mudanças físicas e mentais dos pais, ao mesmo tempo em que enfrentam suas próprias preocupações diárias, pode resultar em exaustão emocional.
  2. Conflito de papéis: À medida que os pais envelhecem, os papéis podem se inverter, e os filhos podem se encontrar em situações em que precisam assumir decisões que tradicionalmente cabiam aos pais. Isso pode criar tensões internas e desafios de comunicação.
  3. Pressão financeira: Custos médicos e de cuidados podem ser pesados para os filhos, especialmente se não estiverem preparados financeiramente para essas despesas. Isso pode causar preocupações sobre o próprio futuro financeiro.
  4. Equilíbrio entre vida pessoal e responsabilidades: Muitos filhos de pais idosos enfrentam dificuldades em equilibrar suas próprias vidas pessoais, carreiras e responsabilidades de cuidado. Isso pode levar ao estresse e à sensação de estar sempre sobrecarregado e em dívida.


Caminhos para uma vida mais leve:

  1. Comunicação aberta: Estabelecer um canal de comunicação aberto com os pais idosos (quando possível) e com irmãos, parentes, cônjuge e amigos é fundamental. Expressar suas preocupações, emoções, necessidades e limites de maneira respeitosa pode criar um ambiente mais saudável para todos.
  2. Busca de apoio: Não hesite em buscar apoio emocional ou prático, seja por meio de grupos de apoio, terapia ou até mesmo ajuda profissional de cuidadores profissionais ou familiares.
  3. Definição de limites saudáveis: É importante estabelecer limites realistas para o que você pode e não pode fazer em relação ao cuidado de seus pais. Aprender a delegar tarefas e aceitar ajuda de outros membros da família, sem sentir culpa, pode aliviar o peso sobre seus ombros.
  4. Auto Cuidado: Lembre-se de que cuidar de si é essencial para ser capaz de cuidar dos outros. Tire um tempo para relaxar, praticar hobbies e manter sua saúde física e mental em equilíbrio.
  5. Planejamento antecipado: Ter conversas antecipadas sobre o envelhecimento e os cuidados pode ajudar a evitar decisões precipitadas ou sobrecarregadas no futuro. Conversar sobre desejos e preferências de cuidado pode aliviar futuros dilemas.

 

Ao abordar abertamente as dores e desafios enfrentados pelos filhos de pais idosos, estamos construindo um espaço de empatia, compreensão e apoio mútuo. Reconhecer a importância dessas conversas é um passo vital em direção a uma jornada de cuidado mais saudável e uma vida mais leve para todos os envolvidos.

Faz sentido pra você? Conhece outras pessoas que vivem esse desafio? Me mande uma mensagem no insta @por.renatabarreto Vamos conversar e nos apoiar!

 

All Posts
×

Almost done…

We just sent you an email. Please click the link in the email to confirm your subscription!

OK